Obrigado Manuela

No preciso momento em que se iniciou a campanha para o Parlamento Europeu, Manuela Ferreira Leite não falou de Europa, mas esteve no Porto para dizer quase tudo o que seria importante, com a mesma singeleza com que disse que a democracia podia ser suspensa durante seis meses ou que a finalidade do casamento era a procriação.

Na ânsia de responder ao comício do PS em Coimbra com José Sócrates, Vital Moreira e José Luis Zapatero, foi singela e certeira quando afirmou que "os socialistas estão unidos e querem destronar o PPE no Parlamento Europeu". É isso mesmo. Manuela Ferreira Leite percebeu tudo e disse-o aos portugueses, tal como nós, os socialistas temos dito. Convenhamos que vindo da sua boca tem outro alcance. Por isso agradecemos: Obrigado Drª Manuela.

Mas é pena que a líder do PSD não fale de Europa, que a mantenha à distância. Estamos ansiosos por a ouvir porque está a decorrer uma campanha para o Parlamento Europeu. E já são só mais duas semanas de discussão. De resto, já alguém ouviu Manuela Ferreira Leite falar sobre Europa? Não! Por favor, liguem à doutora Manuela e peçam-lhe para dizer algumas coisinhas sobre a Europa. A Europa, sobretudo neste contexto eleitoral, merece.

Por exemplo, perguntem se, tal como defende Paulo Rangel, também ela é federalista. Era útil saber se é isso que pensa. Será que defende o federalismo? Ou outra coisa qualquer? Ou coisa nenhuma? Ou apenas alguma forma especial de mercado assim mais à inglesa, muito liberal?

Bem, o facto marcante foi que a doutora Manuela esteve muito bem quando disse que o PS português e espanhol estão unidos. É verdade. É esse o verdadeiro espírito europeu. Os socialistas europeus estão unidos e têm um grupo homogéneo e assumidamente europeísta, ao contrário do PPE, que tem de tudo um pouco e até eurocépticos. A solidariedade entre o PS e o PSOE ajuda a fazer uma Europa mais justa, melhor e mais forte. E o PS não só assume o seu europeísmo, como vai mesmo ao ponto de, dentro deste espírito de solidariedade, fazer também campanha ao lado dos socialistas alemães e dos socialistas franceses. Ainda agora estive nas ruas de Hamburgo a viver essa experiência gratificante. E o PSD já fez alguma coisa para fortalecer o espírito europeu? Não parece.

Mas é esta obsessão de Manuela Ferreira Leite com a política nacional, quando o tempo é de política europeia e, mais do que nunca, é preciso muita pedagogia para aproximar os cidadãos da Europa, que acaba por contribuir para enfraquecer a Europa e o espírito europeu. E isso é lamentável.

Manuela Ferreira Leite também esteve bem quando disse que a ambição dos Socialistas é serem os mais votados para terem uma maioria no Parlamento Europeu. Precisamente. Essa é a única forma de contrariar a direita europeia, que actualmente governa em 20 dos 27 Estados membros da União Europeia.

Se hoje todos estamos a ser sugados por esta crise económica que é uma das mais graves do último século, com tantas empresas a fechar e emprego a ser destruído, deve- mo-lo em boa parte à direita americana e europeia. A mesma que arquitectou a desregulação dos mercados e o capitalismo de casino, que protegeu os especuladores e os paraísos fiscais.

A probabilidade de uma crise como esta acontecer seria diminuta num mundo mais à esquerda e os Governos europeus, a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu fossem também maioritariamente de esquerda.

E é também por isso que as eleições para o Parlamento Europeu são importantes. Para dizer que basta de direita e de neoliberalismo na Europa e que é tempo de criar uma sociedade mais justa, mais progressista e mais solidária. E ganhar o Parlamento Europeu é o primeiro passado para começar a mudar a Europa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG