Líder do PSD desafia Sócrates a demarcar-se do seu candidato

Sociais-democratas. Manuela Ferreira Leite juntou-se ontem a Rangel na campanha das europeias. Com a líder surgiram quase todos os candidatos da lista do PSD, num contra-ataque às declarações de Vital sobre a envolvência do partido no BPN

A líder do PSD entrou ontem, em Aveiro, sob um calor intenso, na campanha do seu cabeça de lista às europeias, determinada a defender o bom nome do seu partido. Interrompeu uma arruada, para se mostrar a sua "indignação com a indignidade" da campanha de Vital Moreira. Manuela Ferreira Leite, lado a lado com Paulo Rangel, desafiou o secretário-geral do PS, José Sócrates, a demarcar-se das palavras do candidato socialista que no dia anterior, num comício em Évora, frisou que na "roubalheira" do BPN estão envolvidas "figuras gradas" do PSD (ver págs. 10 e 11).

A líder laranja considerou que a "linguagem indigna" de Vital é nota de "desespero do candidato". E questionada pela sua fraca participação na campanha de Rangel, por oposição a Sócrates, que tem dado bastante apoio ao líder da lista socialista ao PE, aproveitou a deixa: "É natural que o engº Sócrates tenha que proteger o seu candidato. Eu tenho confiança no meu".

Este intervalo para falar mal de Vital e desafiar Sócrates, próximo da Praça do Rossio, em Aveiro, foi precedido da tradicional campanha de rua, para a qual há pouco tempo Manuela Ferreira Leite disse não "ter jeito". Ontem mudou o tom depois de uns quantos apertos de mão. "Se tiver jeito é andar aqui a aldrabar as pessoas, não tenho de certeza jeito. Se é andar a cumprimentá-las, a conviver com elas, aí tenho jeito com certeza".

Nota que a líder do PSD - que ontem se fez acompanhar pelo secretário-geral do partido, Luís Marques Guedes, pelos vices Paulo Mota Pinto e Castro Almeida, pelo director de campanhas do partido, Agostinho Branquinho, e pelo número dois da lista ao PE, Carlos Coelho - não tem grande à vontade nos contactos de rua. Apertou as mãos que se estenderam, disse "boa tarde", distribuiu panfletos e ponto final. O seu candidato Paulo Rangel andou mais descontraído, de sorriso rasgado.

b positivo Menos sozinho

Paulo Rangel que tem andado praticamente sozinho em campanha teve ontem a seu lado a líder social-democrata e parte da direcção laranja.

b negativo Pouca rua

A "arruada" foi pouco participada pelos populares. E tudo se resumiu a uns quantos apertos de mão e uns panfletos distribuídos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG