BE: João Madeira defende "balanço rigoroso"

O militante do Bloco de Esquerda João Madeira defendeu hoje um "balanço rigoroso" do resultado do partido nas eleições europeias de domingo, apesar de ter elogiado o "excelente trabalho" da eurodeputada Marisa Martins durante a campanha.

"O caminho que o partido terá de fazer agora é o de um balanço rigoroso deste processo eleitoral, que será iniciado na próxima reunião da Mesa Nacional, do próximo domingo, e que deverá prosseguir no processo de convecção que se aproxima", disse João Madeira, em declarações à Agência Lusa.

Para João Madeira, que na última convenção do Bloco apresentou uma lista à Mesa Nacional, há um "processo de fragmentação do espaço que o bloco devia ocupar" na política portuguesa, que o responsável atribui a diversos fatores, entre os quais a constituição do Partido Livre, liderado pelo ex-bloquista e deputado europeu Rui Tavares.

"Há um processo de fragmentação do espaço que o bloco devia ocupar que tem a ver com o processo de constituição do Partido Livre, com algumas franjas que se aproximam do próprio PAN, algumas outra franjas mais radicalizadas e inconformadas que podem ter sido seduzidas pela proposta apresentada por Marinho e Pinto", explicou.

O PS é o partido com mais mandatos nas eleições europeias de domingo depois de apuradas os resultados em todas as 3.092 freguesias de Portugal e em 54 dos 71 consulados, segundo dados da Direção Geral de Administração Interna (DGAI).

Os resultados indicam sete deputados ( 31.45%) para o PS, seis (27.71%) para a aliança Portugal (PSD/CDS-PP), dois (12.68%) para a CDU (PCP-PEV), um (7.15%) para o Partido da Terra (MPT) e outro (4.56%) para a Bloco de Esquerda, faltando atribuir quatro dos 21 mandatos de Portugal no Parlamento Europeu, que dependem dos resultados no estrangeiro.

Exclusivos