Lisboa- Todos os presidentes do distrito resistem e são reeleitos nos 16 concelhos



O PS voltou domingo a ser o partido a eleger mais presidentes de câmara no distrito de Lisboa, onde nenhuma das 16 autarquias passou para a liderança de uma força política diferente da que estava actualmente no poder.

Nas eleições de 2005, o Partido Socialista conquistou oito presidências municipais, o PSD seis (uma em coligação com o CDS-PP e outra com o CDS-PP, PPM e MPT) e o PCP/PEV uma, havendo ainda uma vitória de um movimento independente.

Entretanto, a Câmara de Lisboa passou das mãos do PSD para as do PS nas eleições intercalares de 2007, ganhas por António Costa com 29,49 por cento dos votos, que já lhe permitiram uma maioria absoluta, com seis vereadores.

Nas eleições de domingo, Costa voltou a vencer, mas desta vez, e no quadro de um acordo com o movimento independente Cidadãos por Lisboa e um ex-candidato bloquista, com 44,01, correspondentes a uma nova maioria, com nove mandatos.

A coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM, liderada por Pedro Santana Lopes, elegeu sete vereadores e a CDU um.

Em Oeiras, o actual presidente do executivo, Isaltino Morais, foi eleito para o seu sétimo mandato - o segundo enquanto independente, depois de sair do PSD - com 41,52 por cento dos votos e conseguiu cinco mandatos, mais um do que em 2005.

Derrotados saíram os candidatos Marcos Perestrello, do PS, e Isabel Meirelles (social-democrata em coligação com o CDS-PP e o PPM), que sempre pediram a vitória, mas não ultrapassaram os 25,77 e os 16,42 por cento, respectivamente.

Também em Mafra a vitória coube a um "dinossauro": José Ministro dos Santos, social-democrata que conquistou três mandatos, contra um do PS.

Já no Cadaval, o PS quase derrotou o actual presidente Aristides Sécio (PSD), mas o autarca conseguiu ser reeleito, embora com uma diferença mínima: 44,93 por cento (quatro mandatos) contra 44,62 (três mandatos).

A única mudança do distrito acabou por ser, porém, o novo rosto que permitiu ao PS manter-se à frente do município de Alenquer, embora com os mesmo três vereadores do que a segunda força política concelhia - Jorge Riso, eleito com quase três pontos acima da coligação PSD/CDS-PP/PPM/MPT.  

Sem surpresas, a maioria dos eleitores de Amadora, Cascais, Loures e Sintra voltaram a escolher Joaquim Raposo (PS), António Capucho (PSD), Carlos Teixeira (PS) e Fernando Seara (PSD/CDS-PP/PPM/MPT), respectivamente.

Também nos restantes oito concelhos do distrito de Lisboa os actuais presidentes camarários voltaram a vencer: o PS reelegeu Joaquim Ramos na Azambuja, Maria da Luz Rosinha em Vila Franca de Xira, José Custódio na Lourinhã, Carlos Miguel em Torres Vedras e Susana Amador em Odivelas. O PSD reelegeu Carlos Lourenço em Arruda dos Vinhos e a CDU manteve-se em Sobral de Monte Agraço.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG