Marcelo defende Governo "com três partidos"

O comentador político Marcelo Rebelo de Sousa defendeu hoje uma solução de Governo "de três partidos" para aplicar um Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) em que haja "acordo mínimo".

Questionado pelos jornalistas à margem da comemoração dos 100 anos da Universidade de Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que vai "esperar até ao fim" pelo desenrolar de uma eventual crise política, defendendo que o primeiro-ministro deve garantir que há condições "para viabilizar um PEC em que seja possível um acordo mínimo e ir a seguir para eleições".

"Logo se vê quem executa o PEC. Era bom que o Governo que execute o PEC possa ser um Governo de três partidos: PS/PSD ou PSD/PS, conforme a escolha dos portugueses, e CDS", apontou.

Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que "a situação é tão complicada que por um período curto de tempo, dois ou três anos, deve haver uma coligação muito ampla para salvar Portugal", acrescentando que acha isso "não só possível, mas desejável".

O também docente da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa frisou que "se fosse possível", o Governo deveria incluir até PCP e Bloco de Esquerda.

No entanto, aqueles partidos "discordam de qualquer tipo de solução no quadro da Europa, do Euro e deste tipo de medidas de austeridade", argumentou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG