CDS-PP lamenta que Sócrates esqueça que é primeiro-ministro há 2.192 dias

O CDS-PP acusou Sócrates de ser o autor da política que levou o país à actual situação, recusando "ficar na fotografia" do novo PEC 4.

Num comentário à declaração ao país que o chefe do Governo fez esta noite, o deputado do CDS-PP Nuno Magalhães disse ter sido a "intervenção de alguém que parece ter esquecido que é primeiro-ministro há 2.192 dias".

"É o autor da política" que conduziu o país ao estado actual, "em que dois terços do total do IRS cobrado aos portugueses são para pagar apenas os juros da dívida do Estado".

Questionado se o CDS-PP está disponível para negociações com o Governo sobre o novo Plano de Estabilidade e Crescimento, chamado de PEC 4, Nuno Magalhães disse que a posição do partido foi sempre muito clara. "Não vamos certamente ficar na fotografia", sublinhou o deputado do CDS-PP, que falava aos jornalistas no Parlamento.

Nuno Magalhães notou ainda que na declaração do primeiro-ministro algumas coisas ficaram por explicar, nomeadamente a razão porque há dois meses o Governo dizia que havia uma folga orçamental na ordem dos 800 milhões de euros e agora "já há um buraco de mil e quatrocentos milhões de euros", "buraco" que justifica estas novas medidas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG