Ânimos exaltados na manifestação anti-NATO

Os ânimos exaltaram-se esta tarde, na Avenida da Liberdade, em Lisboa, com polícias e manifestantes a trocarem empurrões e os activistas a criticarem a "repressão policial".

A tensão surgiu quando os manifestantes que se encontravam no segundo cordão policial se quiseram juntar aos elementos que seguem isolados na cauda da manifestação, mas foram impedidos pela polícia. A resposta não tardou, com os activistas a gritarem: "repressão policial, terrorismo oficial" e "fascistas", enquanto os agentes reforçavam o cordão policial junto ao grupo que segue isolado e empurravam alguns manifestantes.

Milhares de pessoas começaram a descer a avenida da Liberdade às 14:59 em protesto contra a NATO, partindo do Marquês de Pombal, em Lisboa, numa mancha vermelha dominada pelas bandeiras do Partido Comunista.

De acordo com os promotores do protesto, a Plataforma "Paz sim, Nato não!", estiveram presentes mais de 30 mil pessoas que após descerem a Avenida da Liberdade se concentraram na praça dos Restauradores.

Entretanto, a Avenida da Liberdade, em Lisboa, já foi totalmente reaberta ao trânsito, mas um grupo de cerca de três centenas de activistas anti-Nato estão concentrados no Terreiro do Paço, em Lisboa, vestidos de preto e com a cara tapada gritam: "Activistas presos, liberdade já". A Polícia está no final da rua Augusta, que começa agora a fazer um cordão junto ao arco. No local, estão mais de 10 carros do Corpo de Intervenção da PSP e uma ambulância do INEM.

Se está com dificuldades em ver o vídeo CLIQUE AQUI

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG