PCP atribui abstenção à indignação e ao reduzido esclarecimento

Paulo Raimundo, membro da Comissão Política do PCP, comentou, este domingo à tarde, o aumento previsto na abstenção, atribuindo-o, por um lado, à indignação dos portugueses e, por outro lado, à falta de "esclarecimento e mobilização" nesta campanha.

A confirmar-se "a abstenção ligeiramente superior em relação a 2009", o dirigente, que falava em nome da candidatura da CDU, considerou que "há muitas razões para os portugueses estarem desiludidos com a política" e com as respectivas "consequências na vida de cada um".

"É uma forma de expressar a indignação", comentou Paulo Raimundo, notando, por outro lado, que "discutiu-se tudo na campanha menos os problemas que existem no país" e aqueles que ainda irão colocar-se aos portugueses. E, aqui, o dirigente faz uma excepção: "consideramos que demos um contributo diferente, de esclarecimento, de mobilização". A CDU, garante, fez com que "milhares se pudessem mobilizar para o voto".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG