Portas: negociação com PSD "não pode ser demorada"

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, defendeu hoje que a negociação com o PSD para a formação de um novo Governo "não pode ser demorada" e vai começar pelo "mais necessário, substantivo e árduo", o programa.

"É uma negociação que por natureza não pode ser demorada; e que evidentemente começa pelo mais necessário, substantivo e árduo - o programa", afirma o presidente dos democratas-cristãos, numa mensagem colocada hoje de madrugada na sua página da rede social Facebook.

Paulo Portas e Pedro Passos Coelho já estão reunidos, na sede dos sociais-democratas, em Lisboa, para dar início às negociações com vista à formação de um novo Governo.

O líder do CDS-PP afirma que estas "conversações" servem para a "definição de um acordo que proporcione a Portugal uma maioria estável para quatro anos" e defende que a negociação "não se compadece com demasiada controvérsia ou exposição pública".

"Parto para todo este processo conhecendo o velho princípio da negociação - nada está acordado até tudo estar acordado - e com a fundada esperança no resultado final. Portugal precisa de um bom Governo. De um Governo forte e de mudança. Disse-o na campanha, mantenho agora. É esse o objetivo pelo qual vale a pena trabalhar", termina Paulo Portas.

Pedro Passos Coelho e Paulo Portas reuniram-se informalmente na terça-feira e definiram o modelo das negociações entre os dois partidos, que juntos formam uma maioria absoluta na Assembleia da República, somando 129 deputados, quando ainda faltam apurar os quatro deputados pelos círculos da emigração.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG