CDS: Insistência no TGV é "vender uma ilusão" aos portugueses

O líder parlamentar do CDS-PP acusou hoje o Governo e o PS de estarem a "vender uma ilusão" aos portugueses ao persistirem no projecto de TGV quando o país "não tem dinheiro para fazer grandes obras".

"Mais uma vez o PS faz uma promessa que sabe à cabeça que não pode cumprir. Neste momento o TGV não é uma questão ideológica, de esquerda ou de direita, é uma questão de possibilidades. É uma questão de perceber que Portugal não tem dinheiro para fazer grandes obras como estas e que a única forma de fazer estas obras é agravando ainda mais o endividamento português", disse Pedro Mota Soares à agência Lusa.

Hoje, no Fórum TSF, o primeiro-ministro e líder do PS, José Sócrates, rejeitou que o partido tenha deixado cair as grandes obras públicas e referiu-se ao TGV como "uma prioridade que permanece". O ministro das Obras Públicas, António Mendonça, garantiu também hoje que "não há nenhuma alteração" ao projecto do TGV.

Para o deputado e candidato democrata-cristão, insistir na manutenção do projecto "é única e exclusivamente querer vender uma ilusão aos portugueses" já que "do ponto de vista realístico não é possível fazer-se mais uma obra como esta". "O PS está a tentar vender uma ilusão", reiterou.

De resto, Pedro Mota Soares apontou que, sob a governação socialista, "endividamento português passou de 82 mil milhões de euros para mais de 170 mil milhões de euros", "93 por cento do PIB quando há cerca de cinco anos era de cerca de 58 por cento do PIB".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG