Louçã quer saber para "onde foi o dinheiro" da dívida

O coordenador nacional do Bloco de Esquerda (BE), Francisco Louçã, quer saber para "onde foi o dinheiro" da dívida pública portuguesa, porque diz que o país não teve mais investimento, emprego ou melhor saúde e educação.

"Onde está o dinheiro é a pergunta mais importante da democracia portuguesa", afirmou Francisco Louçã, que falava durante um comício, em Vila Real, que juntou poucas dezenas de militantes e simpatizantes do BE.

O líder do BE salientou que o Estado português "endividou-se em menos de uma década cerca de 100 mil milhões de euros".

Louçã quer saber onde "está o dinheiro" porque diz que o "país não teve mais investimento, mais emprego, melhores serviços públicos, como a saúde ou educação, mas tem mais dívida nas autoestradas ou nas parcerias público-privadas".

E, segundo o coordenador bloquista, a solução que está a ser apresentada aos portugueses para pagar é "uma dívida ainda mais grave, é pagar juros com juros ainda mais caros".

"A solução não é aumentar a dívida, o desemprego, diminuir a economia, tirar às pensões ou aos salários. É simplesmente renegociar, auditar a dívida, saber o que se está a pagar, proteger a economia, proteger as pessoas", sublinhou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG