Louçã: Programas do PSD, PS e CDS são iguais

O coordenador nacional do Bloco de Esquerda (BE), Francisco Louçã, afirmou no sábado à noite no comício-festa de Tramagal que, pela primeira vez na história das eleições em Portugal, três partidos se vão apresentar a votos com o mesmo programa.

"Um programa igualzinho, sem tirar nem por, o que significa que se estes partidos - PS, PSD e CDS-PP - forem eleitos, e com as políticas do FMI, Portugal vai continuar em recessão e, em 2012, vai continuar a afundar-se e ser o único país do mundo em recessão", afirmou Francisco Louçã, perante cerca de 200 pessoas.

No comício realizado pelo BE no Tramagal o mote foram as políticas alternativas ao FMI e à política de austeridade, tendo Louçã insistido ainda na proposta de criminalização do enriquecimento ilícito e no combate à corrupção, a oitava proposta divulgada pelo partido.

O dirigente bloquista anunciou três medidas "para o combate à corrupção e para que a justiça se respeite a si mesma", medidas que, afirmou, "fazem a diferença entre a pouca vergonha e a confiança" nas instituições.

"Controlo das contas bancárias, criminalização do enriquecimento ilícito e fiscalização de obras", tendo vincado que o Tribunal de Contas deve ser obrigado a certificar todos os contratos.

"Nesta campanha vamos chamar os bois pelos nomes", assegurou, tendo afirmado que "o FMI e os partidos do arco do FMI" se preparam para fazer "a maior alteração na história" da segurança social em Portugal.

"A acreditar nos números do FMI, pretende-se atingir uma redução de 12 pontos percentuais, ou seja, uma redução para metade da contribuição patronal para a segurança social", afirmou, tendo acrescentado que, se houvesse um aumento do IVA para compensar esta alteração, este atingiria os 30 pontos percentuais.

"E, para atingir estes objectivos, senão for no IVA, é noutro imposto ou com cortes no Serviço Nacional de Saúde ou na educação", declarou Louçã.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG