Supremo Tribunal sueco rejeita apelo de Assange

O mandado de captura internacional emitido contra Julio Assange mantém-se. O Supremo Tribunal da Suécia rejeitou um recurso do fundador do Wikileaks, que é suspeito de violação e abuso sexual.

Assange sempre negou as acusações e relaciona este processo com os vários momentos em que o Wikileaks divulgou milhares de documentos confidenciais do governo e diplomacia dos EUA. Este caso já esteve arquivado, mas foi reaberto.

As autoridades suecas emitiram um mandado de captura internacional a 20 de Novembro, antes da última 'bomba' da Wikileaks, e advogado do australiano apresentou um recurso esta semana para tentar travar a detenção do cliente. Mas o apelo foi rejeitado, anunciou o Supremo Tribunal, noticia o 'El País'.

São poucos os países em que Assange se poderá refugiar para escapar à Interpol, a associação policiail internacional conta com 188 países membros, lembra a BBC, ainda que alguns possam tentar não cumprir o mandado, que, continua vingente em 20 países.

De acordo com o The Guardian, Assange encontra-se "num local secreto, fora de Londres, com 'hackers' e entusiastas da Wikileaks". Informação na qual encaixa os dados obtidos pelo The Independent: a polícia sabe onde está o australiano e só espera confirmar questões técnicas e formais para avançar para a detenção.

Aliás, os próprios advogados britânicos do australiano dizem que vários países sabem onde está Assange.