EUA pedem à Europa que prenda fundador do Wikileaks

As autoridades policiais norte-americanas pediram hoje às suas congéneres europeias para prender o fundador do site Wikileaks por suspeita de violação.

O australiano Julian Assange, 39 anos, não apareceu em público depois de uma conferência de imprensa que deu a 5 de Novembro, em Genebra, e tem dado apenas entrevistas on-line desde que foi divulgado um comunicado do seu advogado, referindo que o 'hacker' estaria a ser acusado na Suécia por crimes sexuais.

A responsável do Ministério Público da Suécia, Marianne Ny, afirmou que foi emitido um mandado de detenção europeu devido a estas suspeitas. Mark Stephens, o advogado de Assange, informou ainda não ter sido notificado formalmente das acusações feitas ao seu cliente, o que considerou ser uma exigência legal no âmbito da legislação europeia.

O advogado, com escritório em Londres, não poupou Mariane Ny, num e-mail dirigido à agência noticiosa AP, referindo "negligência ocasional" das suas obrigações e considerou que o caso é uma "perseguição e não uma acusação". Sobre Assange pendem acusações de violação, assédio sexual e coerção ilegal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG