Ásia receia novo tsunami após recente terramoto

Um forte terramoto sacudiu ontem à noite (23.15 locais) a costa Norte da Ilha de Samatra, na Indonésia - 8,7 graus na escala de Richter. Jacarta confirmou a existência de duas vítimas mortais na ilha de Nias, no entanto, este número poderá aumentar significativamente uma vez que, segundo os dados da ONU, mais de dez mil pessoas vivem em ilhas localizadas a 50 quilómetros do epicentro. Os sismólogos e as autoridades dos países asiáticos temem que o sismo possa provocar um outrotsunami.

De acordo com o Centro de Alerta contra o Tsunami do Pacífico, o sismo, com epicentro a 1300 quilómetros de Jacarta, atingiu os 8,5 graus de magnitude na escala de Richter. Contudo, a Agência Geológica dos Estados Unidos (AGEU) revelou que o tremor havia sido de 8,7 graus de magnitude.

O porta-voz da AGUE afirmou que o sismo ocorreu às 23.15 locais e a 200 quilómetros de Samatra apesar de ter sido menos forte do que o ocorrido em Dezembro, "deve produzir um tsunami", alertou McCreery à estação americana CNN.

Segundo o Instituto Físico do Globo de Estrasburgo, o risco de tsunami após o sismo dependerá sobretudo da energia libertada durante o terramoto que, neste caso, foi 30 vezes inferior ao ocorrido em 26 de Dezembro e fez 273 mil mortos ou desaparecidos, só na Indonésia.

A possibilidade de um novo tsunami gerou o pânico entre as populações das regiões costeiras.Dezenas de milhares de pessoas fugiram de casa nas regiões de Samatra, Singapura ou Malásia.

As autoridades da Indonésia, Tailândia e do Sri Lanka foram as primeiras a lançar o alerta de tsunami, apelando aos habitantes das zonas costeiras para deixarem as suas casas. O Governo da Índia seguiu o exemplo e ordenou a evacuação dos habitantes do Sul do país,sobretudo no estado de Tamil, região gravemente afectada com a "vaga gigante" ocorrida a 26 de Dezembro.

À medida que as horas avançaram, o receio de uma catástrofe foi diminuindo. Três horas após o sismo na Ilha de Samatra, a Indonésia levantou o alerta de tsunami. Seguiu-se a Tailândia que pouco tempo depois autorizou o regresso das populações costeiras às suas habitações.

O Governo do Sri Lanka mantém-se atento à hipótese de um tsunami, tal como Madagáscar e Ilhas Maurícias, e pediu às populações que vivem nas zonas costeiras para se manterem longe das mesmas. As autoridades indianas já avisaram que irão manter o estado de alerta durante seis a oito horas.

Entretanto, o Ministério dos Negócios Estrangeiros francês, anunciou ter alertado de imediato as suas embaixadas na região para prestarem apoio aos cidadãos franceses que estão na zona e também colaborar com as autoridades locais.

Recorde-se que o terramoto de 26 de Dezembro mudou até os mapas: a ilha de Samatra, na Indonésia, deslocou-se cerca de 20 metros para sudoeste depois da terra tertremido durante três minutos e 20 segundos. O epicentro foi apenas a 250 quilómetros de Samatra e a ilha sentiu os efeitos do abalo que atingiu 9,2 graus na escala de Richter.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG