AIEA ainda não foi informada sobre fuga de plutónio em Fukushima

A Agência Internacional da Energia Atómica (AIEA) assegurou hoje, em Viena, que ainda não foi informada pelas autoridades japonesas sobre uma possível fuga de plutónio dos reatores da central nuclear de Fukushima.

Questionado sobre o assunto, durante uma conferência de imprensa em Viena, o diretor-adjunto da AIEA para a segurança nuclear, Denis Flory, referiu que o incidente "deve envolver plutónio puro para reatores que é ajustado para o reator".

A fuga "significa que existe uma degradação do combustível, o que não é uma novidade. Temos afirmado isto, de forma consistente, durante dias", indicou o responsável do organismo internacional.

"Isto é o que podemos dizer neste momento. Quando tivermos mais informações, iremos partilhar essas informações" com a comunicação social, acrescentou o diretor-adjunto da AIEA.

Testes realizados em cinco locais na central nuclear acidentada de Fukushima Daiichi detetaram a presença de plutónio, informou hoje a empresa que gere a central japonesa, citada pela agência Kyodo.

A empresa Tokyo Electric Power (Tepco) afirmou que o plutónio deve ser proveniente de combustível de um dos reatores danificados pelo sismo seguido de tsunami de 11 de março, segundo a agência.

Também hoje foi detetada água com elevados níveis de radioatividade nos túneis que passam sob os edifícios dos reatores 1, 2 e 3 e desembocam no exterior.

A Agência Internacional da Energia Atómica (AIEA) anunciou, entretanto, que vai convocar uma conferência de alto-nível sobre procedimentos de segurança em centrais nucleares em todo o mundo.

A reunião internacional poderá ter lugar em finais de junho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG