Protestos na Tunísia causaram 234 mortos e 510 feridos

Os protestos na Tunísia, que conduziram ao derrube do presidente Zine El Abidine Ben Ali, causaram 234 mortos e 510 feridos, indicou hoje, terça-feira, à AFP uma fonte próxima do governo.

Entre os mortos estão oito polícias e 74 detidos, que morreram durante a repressão de motins nas prisões ou em incêndios aí verificados.

A 1 de Fevereiro, as Nações Unidas divulgaram um balanço provisório de 219 mortos, entre os quais 72 presos, e 510 feridos.

Os tumultos que conduziram à queda de Ben Ali começaram a 17 de Dezembro, no seguimento da morte de um vendedor ambulante, Muhammad Buazizi, de 26 anos, que se imolou em frente às instalações do governador de Sidi Buzid, a 265 quilómetros a sul de Tunes, para protestar contra a apreensão pela polícia da sua banca de frutas e legumes.

Buzid morreu a 4 de Janeiro, desencadeando manifestações, selvaticamente reprimidas pela polícia até à fuga de Ben Ali para a Arábia Saudita, a 14 de Janeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG