Líbia pede reunião urgente ao Conselho de Segurança da ONU

A Líbia pediu uma reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU, após o lançamento de uma operação militar contra as forças de Muammar Kadhafi.

O regime líbio disse que, depois dos raides das forças da coligação, considera nula a resolução 1973 das Nações Unidas.

"A Líbia, como Estado independente e membro da Organização das Nações Unidas pediu a realização de uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU após a agressão da França, Grã-Bretanha e os Estados Unidos contra o seu território", disse o departamento de Negócios.

O Governo líbio diz que o "ataque aéreo e marítimo teve como alvo várias áreas civis, fez baixas civis e provocou danos em hospitais, aeroportos e estradas, e outros alvos civis".

De acordo com o regime líbio, "a agressão deixa sem efeito a Resolução 1973 sobre a utilização do espaço aéreo".

Representantes da União Europeia, Liga Árabe, União Africana, ONU e Estados Unidos decidiram hoje, em Paris, lançar uma operação militar para impor a aplicação da resolução, que prevê a imposição de uma zona de exclusão aérea para proteger as populações civis líbias.

Aviões franceses e forças norte-americanas estacionadas no Mediterrâneo iniciaram poucas horas depois os ataques a alvos estratégicos em território líbio.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG