Governo britânico prepara imposição de zona de exclusão aérea

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, afirmou hoje que o Reino Unido está a trabalhar em conjunto com os seus aliados num plano para impor uma zona de exclusão aérea sobre a Líbia.

O chefe do Governo britânico não precisou se os planos em desenvolvimento são para impedir imediatamente os voos de aviões militares líbios ou simplesmente para preparar um eventual agravamento da situação naquele território.

No entanto, Cameron afirmou, em declarações aos deputados britânicos, que Londres "não descarta o uso de recursos militares" para lidar com o regime de Muammar Kadhafi, que tentou acabar com os protestos pró-democracia na Líbia com extrema violência.

Na passada sexta-feira, diplomatas europeus, em Bruxelas, já tinham avançado com a possibilidade de estabelecer uma zona de exclusão aérea sobre a Líbia, o que impediria Kadhafi de recorrer à força aérea para combater a rebelião. No entanto, "a União Europeia (UE) necessita primeiro de uma resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas" a autorizar a imposição de uma zona de exclusão aérea.

A aplicação de uma zona de exclusão aérea é uma manobra complexa, mas que já foi usada no passado em regiões como os Balcãs e no Iraque.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG