Enfermeira ucraniana de Khadafi tenciona regressar a Kiev

A ucraniana Galina Kolotnitskaia, enfermeira do líder líbio Muammar Khadafi, tenciona regressar a casa, escreve o jornal "Segodnia", citando a filha, Tatiana Kolotnitzkaia.

"A minha mãe ligou-me ontem. Contou que estava em Tripoli. Há tiroteios e pancadaria. Ela falou com voz calma, pediu para não nos preocuparmos e que regressaria a casa em breve. Disse que, graças a Deus, estava bem de saúde", declarou Tatiana Kolotnitzkaia ao diário ucraniano "Segodnia". As autoridades da Ucrânia organizaram a retirada dos seus cidadãos da Líbia, mas um grupo de médicos que trabalham no país recusa-se a regressar a Kiev porque não receberam os salários.

Documentos da embaixada norte-americana em Tripoli, revelados pelo sítio Wikileaks no outono de 2010, relatam que a "formosa loira" da Ucrânia tem enorme influência sobre o líder líbio Khadafi. Num telegrama datado de 2009, os diplomatas norte-americanos colocam, entre as pessoas de confiança de Khadafi, a enfermeira ucraniana de 38 anos, Galina Kolotnitzkaia, que já presta, há muito tempo, assistência ao dirigente líbio.

Segundo a mesma fonte, quatro enfermeiras ucranianas tratam da saúde de Khadafi, mas Kolotnitzkaia goza de maior confiança e acompanha-o em todas as deslocações.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG