Edifício no complexo residencial de Kadhafi destruído

Um edifício administrativo situado no complexo residencial do dirigente líbio, Muammar Kadhafi, em Tripoli, foi completamente destruído por um míssil. Segundo a coligação abrigava um centro de "comando e controlo" das forças líbias.

O edifício fica a cerca de 50 metros da tenda onde Kadhafi recebia, geralmente, os seus convidados, e um porta-voz do regime, Moussa Ibrahim, disse aos jornalistas que se trata de um edificio de serviços administrativos.

"Foi um bombardeamento bárbaro que podia ter vitimado centenas de civis que estavam reunidos na residência de Muammar Kadhafi", disse Ibrahim aos jornalistas estrangeiros, que foram conduzidos até ao local de autocarro.

Fonte militar da coligação afirmou à AFP entretanto que o edifício foi destruído porque abrigava um centro de "comando e controlo" das forças líbias. "No quadro da resolução 1973, continuamos a visar alvos que constituem uma ameaça directa para o povo líbio e que afetam a criação de uma zona de exclusão aérea", disse a fonte que pediu para não ser identificada.

Dezenas de pessoas afluíram ao local por terem ouvido o rumor de que um avião tinha caído sobre a residência e gritavam "onde está o avião", relataram os jornalistas.

Fortes explosões foram ouvidas e sentidas em Tripoli, onde se viu também em acção, ao início da noite de domingo, a defesa antiaérea líbia.

O Reino Unido e a Dinamarca já confirmaram que participaram, domingo, numa nova vaga da intervenção militar internacional contra as forças do regime líbio.

A coligação internacional fez uma primeira intervenção, por ar e mar, no sábado, com a participação de meios militares dos Estados Unidos, França e Reino Unido, para garantir uma zona de exclusão aérea, legitimada por uma resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

O Governo de Muammar Kadhafi anunciou entretanto um cessar-fogo, para entrar em vigor as 19:00 TMG (mesma hora em Lisboa) de domingo. Barack Obama já afirmou que este cessar-fogo foi imediatamente quebrado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG