Governo admite fazer mais viagens de repatriamento

O Governo admite fazer mais viagens para o Egito, no âmbito da operação de repatriamento de portugueses, se tal se revelar necessário, afirmou hoje, segunda-feira, o secretário de Estado das Comunidades, António Braga.

"Temos condições de fazer duas viagens ou aquelas que forem necessárias. Estas duas primeiras viagens estão, em princípio, confirmadas", disse o governante numa conferência de imprensa. Na terça-feira um avião Hércules C-130 da Força Aérea vai trazer o primeiro grupo de 70 portugueses que querem sair do Egito. Para o dia seguinte está previsto um novo voo, à mesma hora, que, além dos portugueses que já estão previstos viajar, pode transportar cidadãos de outras nacionalidades, se houver lugares disponíveis. "Temos pedidos para ceder lugares a outros cidadãos da União Europeia", disse António Braga, ressalvando que "primeiro estão os portugueses".

O governante referiu ainda que já "saíram 10 portugueses pelos seus próprios meios" do Egito. O secretário de Estado afirmou que as operações de repatriamento terão de ser feitas fora do horário do recolher obrigatório, "que se aplica a todos, inclusivamente aos militares". A bordo do C-130 seguem elementos do Grupo de Operações Especiais (GOE) da PSP, que vão garantir a segurança do embarque dos portugueses, disse António Braga. O governante admitiu que estes elementos do GOE, cujo número não precisou, podem ficar no Cairo para reforçar a segurança da embaixada portuguesa. Junto dos GOE vão também quatro funcionários para reforçar a embaixada portuguesa no Cairo, que está desde sexta-feira a trabalhar "24 horas por dia".

Sublinhando que o "pessoal diplomático é decisivo para ajudar nas operações de repatriamento", António Braga admitiu que depois "será avaliado" se há necessidade de se manterem no país ou se irão também regressar a Portugal. O secretário de Estado voltou a aconselhar que "não se deve viajar nestas circunstâncias" para o Egito e que não se devem utilizar, para outros fins, os números de emergência divulgados pelo Governo para uso dos portugueses naquele país. "Temos condições de fazer duas viagens ou aquelas que forem necessárias. Estas duas primeiras viagens estão, em princípio, confirmadas", disse o governante numa conferência de imprensa. Na terça-feira um avião Hércules C-130 da Força Aérea vai trazer o primeiro grupo de 70 portugueses que querem sair do Egito. Para o dia seguinte está previsto um novo voo, à mesma hora, que, além dos portugueses que já estão previstos viajar, pode transportar cidadãos de outras nacionalidades, se houver lugares disponíveis.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG