Brown contestado e impopular um ano depois de chegar ao poder

74% consideram que líder trabalhista é uma desilusão.

Gordon Brown é uma desilusão como primeiro-ministro para a maioria dos britânicos e poucos consideram que, com ele, o Labour pode voltar a ganhar em eleições legislativas, indicou uma sondagem do Guardian.


O estudo, ontem publicado, mostra que os decepcionados são 74% e que os que ainda acreditam no líder trabalhista representam 24%. No que respeita à popularidade, o Labour é ultrapassado pelos Tories em mais 20 pontos percentuais.


É assim, impopular e contestado, que Gordon Brown completa o seu primeiro ano em Downing Street, depois de ter sucedido a Tony Blair a 27 de Junho do ano passado. É líder do Labour , é primeiro-ministro, mas não tem a legitimidade das urnas.


Ao longo dos dez anos em que foi ministro das Finanças de Blair , as opiniões eram unânimes: competência económica, estilo sóbrio, promessa política no país e na Europa.


Agora, passado um ano, dividem--se pouco para constatar a sua constante indecisão e o seu cinismo político em certas decisões. Além de uma falta de carisma que ajuda os britânicos a duvidarem da sua competência para governar o país.


Actualmente obcecado com a crise na ex-colónia Zimbabwe, tendo ontem confirmado no Parlamento que o Reino Unido vai agravar as sanções ao regime de Robert Mugabe, Brown enfrenta com dificuldade a crise financeira em casa.
A ratificação do Tratado de Lisboa no país foi a sua bandeira na última cimeira europeia. Mas no capítulo do terrorismo enfrentou uma rebelião dentro do próprio partido e só fez passar novas leis com o votos dos deputados unionistas irlandeses.


Brown sabe que chegou a primeiro-ministro pela via da sucessão, mas teme ir a votos por causa das sondagens, preferindo, para já, esperar pelas eleições de 2010.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG