Merkel diz que Grécia no euro é culpa de Schroder

A chanceler alemã Angela Merkel acusou os seus opositores sociais-democratas, nomeadamente o seu antecessor Gerhard Schroder, de ter permitido, em 2001, a adesão da Grécia ao euro.

Em plena campanha eleitoral por um terceiro mandato nas legislativas de 22 de setembro, a chanceler alemã Angela Merkel lançou um ataque os seus opositores sociais-democratas afirmando que a Grécia nunca deveria ter entrado no euro e que foi o governo de Gerhard Schroder que o premitiu em 2001.

"A Grécia nunca deveria ter entrado no euro", afirmou Merkel durante um comício eleitoral que juntou centenas de pessoas na cidade de Rensburg, arrancando fortes aplausos da plateia.

A chanceler conservadora, que lidera as sondagens sobre a intenção de voto dos alemães, acusou novamente Gerhard Schroder (seu antecessor social-democrata) de ter consentido, em 2001, a adesão da Grécia ao euro, contribuindo assim para fragilizar a estabilidade da moeda única.

No sábado, Merkel já tinha atacado o SPD acerca do mesmo assunto, afirmando que "não são queles que aceitaram a Grécia na zona euro que nos podem agora vir dizer que temos problemas com os gregos".

A crise da zona euro e a fatura que os contribuintes alemães terão, eventualmente, de vir a pagar no futuro, são temas que têm estado a animar uma campanha eleitoral normalmente considerada pelos analistas como não tendo grandes pontos de interesse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG