"PS, PSD e CDS andaram de mãos dadas" na Europa

Cabeça de lista às eleições europeias socorre-se de estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos para dizer que a CDU tem razão: "A direita e a social-democracia votaram quase sempre da mesma maneira [em Bruxelas]."

A ideia tem sido recorrentemente veiculada pela CDU, mas teve esta quinta-feira uma nova sustentação. Um estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos, de que o Público deu conta, confirmou que PS, PSD e CDS votaram de forma igual dois em cada três diplomas apreciados no Parlamento Europeu, dados em que João Ferreira se ancorou para renovar as críticas à "Aliança Portugal" e aos socialistas.

"Há por aí um estudo que até já é capa de um jornal, que vem dar razão ao que a CDU tem vindo a dizer: 'A direita e a social-democracia votaram quase sempre da mesma maneira no Parlamento Europeu'", afirmou o eurodeputado comunista, num almoço em Évora com dezenas de apoiantes da coligação, que insistiu na ideia de que socialistas, sociais-democratas e centristas andaram "cá dentro" e "lá fora" constantemente "de mãos dadas".

Por isso, João Ferreira voltou a desafiar o PS e Francisco Assis a dizerem uma medida relevante para Portugal em que o partido 'rosa' tenha votado "de forma diferente" que a maioria que suporta o Governo, repto que, observa, "ainda não teve resposta".

No evento deste quarto dia de campanha eleitoral, o cabeça de lista da CDU contou com o apoio do líder da bancada parlamentar do PCP, João Oliveira, que o ouviu rematar com uma ideia que tem utilizado várias vezes: O PS de António José Seguro "tem pouca credibilidade para prometer a mudança".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG