PS acusa ministro de desviar a atenção do essencial

Aguiar-Branco pediu "disponibilidade" aos socialistas para um acordo orçamental futuro. Secretário nacional do PS insiste em saber "qual o conteúdo da carta" que o Governo enviou à 'troika'.

António Galamba afirmou que "o senhor ministro [da Defesa] não devia brincar com coisas sérias", depois de ter ouvido Aguiar-Branco a propor uma "base de entendimento orçamental" aos socialistas. "O Governo acaba de enviar o Documento de Estratégia Orçamental (DEO) para Bruxelas, em que há opções de mais sacrifícios para os portugueses" e onde inscreveu medidas com "impactos futuros", notou esta terça-feira ao DN, recordando as críticas do PS ao DEO.

Segundo o secretário nacional socialista, Aguiar-Branco parece ter sido "destacado para a parada para desviar a atenção do essencial" - e o essencial, segundo o PS, "é saber qual o conteúdo da carta de intenções", que o Governo terá enviado para o FMI e a troika.

Galamba lembrou que a ministra das Finanças veio dizer que "não há sustos nem surpresas" nessa carta, mas o responsável socialista duvida desta afirmação tendo em conta "o histórico deste Governo". "Se não há problemas nem sustos, o Governo devia divulgar a carta", insistiu. "Os portugueses deviam conhecer o seu conteúdo", antes das eleições europeias.

Na manhã de terça-feira, o ministro da Defesa referiu que "o PS não gosta da palavra consenso" e sugeriu por isso o termo "disponibilidade" para os socialistas assinarem um acordo orçamental no futuro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG