"Posição da Comissão é prenúncio para próximos anos"

Cabeça de lista da CDU às eleições europeias fala em "chantagem" de Bruxelas para comentar a manchete do DN, que dá conta de que poderá haver um segundo resgate financeiro caso a meta do défice para 2015 não seja atingida.

João Ferreira não tem dúvidas: "A posição da Comissão Europeia é um desmentido a todos aqueles que dizem que o País está a recuperar. E um prenúncio para as próximas décadas." O cabeça de lista da CDU às eleições europeias do próximo dia 25 entende que se trata de uma "chantagem" quando em Bruxelas se acena com um segundo resgate caso a meta do défice (2,5% do PIB) para o próximo ano não seja atingida.

O eurodeputado comunista falava à margem de uma visita ao Bairro de Nossa Senhora da Conceição, em Guimarães, onde se debruçou sobre a questão das rendas, que, segundo afirma, sofreram em alguns casos um agravamento de "2000 pontos percentuais" desde que a lei foi revista pelo atual Governo. Situação, essa, frisa João Ferreira que não é aceitável numa altura em que os rendimentos dos agregados familiares são menores.

Antes de se reunir com membros da Associação de Moradores da Conceição, que denunciaram os processos de despejo por falta de pagamento, o cabeça de lista da coligação PCP/PEV ainda ouviu as lamentações de uma idosa. "O dinheiro não chega. Antes pagava seis euros e agora estou a pagar 200. Nem para a água e para a luz sobra", explicou a popular.

Numa esplanada local, alguns idosos aproveitaram a ocasião para se queixaram de outra realidade de que o JN dá esta sexta-feira conta: as grandes fortunas aumentaram durante os três anos da troika em Portugal. Os reformados que ali estavam não perderam a oportunidade: "Nós, com pensões de 600 euros, é que ganhamos muito..."

E, enquanto folheavam o jornal e se depararam com uma fotografia de Oliveira e Costa, um dos eleitores a quem João Ferreira apelou ao voto atirou: "É por causa desse gatuno, desse amigo do Cavaco, que o País está como está."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG