Nacionalismo conservador vence na Polónia

O principal partido da oposição polaca, a formação nacionalista-conservadora Lei e Justiça, de Jaroslaw Kaczynski, venceu as eleições europeias de domingo na Polónia, com 32,35% dos votos, segundo dados oficiais hoje divulgados.

Quando estavam contabilizados 91% dos votos, o partido liderado pelo irmão gémeo do ex-presidente polaco, que morreu no acidente de aviação de Smolensk, seguia à frente, depois de as sondagens à boca das urnas terem dado uma ligeira vantagem ao partido Plataforma Cívica (PO, centro-direita), no poder.

Embora questione o rumo da União Europeia, a formação nacionalista Lei e Justiça (PiS), de Jaroslaw Kaczynski, não se considera eurocética.

A Plataforma Cívica, (PO, conservador-liberal) do primeiro-ministro Donald Tusk, partido de vincado cariz europeísta, conseguiu, segundo os dados apurados, 31,29% dos votos.

A taxa de participação foi de 23,27 %, ficando abaixo dos 24,5% de 2009.

A terceira força política na Polónia volta a ser a Aliança de Esquerda, SLD, que obteve 9,55% dos votos, confinando a esquerda a uma posição marginal no espectro político polaco, claramente dominado pela direita.

Em 2009, a Plataforma Cívica conseguiu nas eleições europeias 25% dos votos, enquanto o Lei e Justiça 15%.

O Congresso da Nova Direita (KNP), um pequeno partido anti-União Europeia, garantiu pela primeira vez representação no Parlamento Europeu, ao granjear 7,06% dos votos, segundo os mesmos dados.

O Partido Camponês, de centro-direita, ultrapassou o patamar dos 5% e também estará representado em Estrasburgo, com 7,2% dos votos.

Segundo os dados preliminares, o Lei e Justiça e a Plataforma Cívica vão ter 19 assentos, cada um, enquanto a Nova Direita e o Partido Camponês contarão com quatro mandatos cada um.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG