"Que os sinos dobrem pela direita e por esta maioria"

Secretário-geral do PCP encerra campanha da CDU com ironia, recordando Hemingway, e com a ideia de que domingo poderá representar um novo passo rumo à queda do Governo. João Ferreira pede às pessoas para "não premiarem os responsáveis pelo seu desalento com a abstenção".

A campanha da CDU às eleições europeias terminou no Seixal com muito entusiasmo, música e dança. Jerónimo de Sousa enfatizou essa alegria e, antecipando a derrota dos partidos que sustentam o Governo, ainda ironizou. Isto porque quando João Ferreira fazia a sua intervenção os sinos da igreja local tocaram e o secretário-geral do PCP não desperdiçou a oportunidade.

"Estava a ouvir os sinos e lembrei-me: 'Por quem os sinos dobram? Que seja pela direita, que seja por esta maioria [PSD/CDS]. Toquem os sinos a dobrar por essa partida'", atirou o líder comunista, recordando o romance do norte-americano Ernest Hemingway, bastante aplaudido pelas centenas de apoiantes presentes.

Por sua vez, o cabeça de lista na corrida ao Parlamento Europeu, João Ferreira, destacou que durante toda a campanha PS, PSD e CDS "não foram capazes de responder ao desafio que lhes foi lançado" de identificarem uma decisão importante e com relevo para o País em que "tenham votado de forma diferente" em Bruxelas/Estrasburgo.

E, a rematar, deixou ainda um apelo para mobilizar os indecisos e eventuais abstencionistas: "Não premeiem, com a abstenção, os responsáveis pelo vosso desalento e pelo vosso descontentamento."

Ler mais

Exclusivos