Passos declara-se sem medo de ser julgado nas eleições

O presidente do PSD e primeiro-ministro declarou-se hoje sem medo de ser julgado nas eleições europeias, considerando que o Governo cumpriu as suas obrigações e que os eleitores não desejam uma mudança para as políticas do PS.

Num encontro com jovens para assinalar o Dia da Europa, inserido na campanha da coligação PSD/CDS-PP para as eleições europeias num auditório em São João da Madeira, Pedro Passos Coelho referiu-se à ideia de que "é o Governo que vai ser julgado" no dia 25 de maio, e afirmou: "Deixem-me dizer-vos: Eu não tenho nenhum medo de ser julgado nas eleições, nem nas legislativas nem nas europeias".

"Aqueles que pensam que nós estamos acabrunhados ou temos receio de enfrentar os eleitores por termos cumprido com as nossas obrigações, por fechar um resgate que não pedimos, que os socialistas pediram, conduziram o país à beira da insolvência, que nós ultrapassámos, regressando a financiamento de mercado, os que pensam que nós estamos acabrunhados por causa disso estão profundamente enganados", acrescentou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.