"Afronta aos portugueses e à soberania", acusa CDU

João Ferreira diz que Governo "não vê a vida para além das paredes do Conselho de Ministros" e critica conferência organizada pelo Banco Central Europeu (BCE) que coincidirá com o dia das eleições europeias.

O cabeça de lista da CDU às eleições europeias considera que a confirmação de uma reunião do Conselho de Ministros para o próximo sábado, dia 17, é "uma afronta aos portugueses", pelo que lamenta a decisão da Comissão Nacional de Eleições (CNE), conhecida esta terça-feira, de permitir a sua realização, bem como o anúncio posterior do plano de estratégia de médio prazo.

João Ferreira, que discursava perante dezenas de mariscadores e viveiristas e estava ladeado por Jerónimo de Sousa, em Olhão, antevê "mais anúncios e promessas sorridentes" próprios de "quem não vê a vida para além das paredes do Conselho de Ministros", falando mesmo em "manobras de propaganda" do Governo de Passos Coelho, contra as quais a coligação PCP/PEV, bem como o BE, apresentara queixa.

Já a propósito da conferência organizada pelo BCE, que trará a Sintra logo no dia (25 de maio) da ida dos portugueses à urnas Mario Draghi, presidente daquela instituição, Christine Lagarde, diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, e Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia, o eurodeputado sublinhou tratar-se de uma iniciativa que "ofende a soberania do País" e mais uma ação de "propaganda" da "agenda da troika e dos que com ela estão comprometidos".

Tanto a CDU como o BE avançaram com protestos, junto da CNE, contra o início da conferência sobre bancos centrais, mas a comissão entendeu que aí "não se encontra em causa matéria eleitoral, pelo que considera não dever intervir". A conferência "Política monetária num contexto financeiro em evolução", inicia-se a 25 de maio e termina dois dias depois.

Ler mais

Exclusivos