O canalizador que dominou o debate

"Ninguém me contactou para estar presente no debate ou para usar o meu nome", disse Joe Wurzelbacher à CBS depois do último frente-a-frente entre Barack Obama e John McCain. Mas a verdade é que este canalizador do Ohio foi referido mais de duas dezenas de vezes pelos candidatos.


Tudo isto porque, há dias, quando Obama esteve em campanha em Holland, a pequena cidade onde até agora Wurzelbacher vivia uma existência pacata, o canalizador - que o Washington Post revelaou não ter licença - decidiu interpelar o candidato democrata. Joe está a pensar comprar a empresa onde trabalha que, se Obama vencer as presidenciais de Novembro terá de pagar mais impostos. Ao que o candidato democrata respondeu que alguns têm de pagar mais para permitir o "sonho americano".


Esta conversa foi captada pelas televisões e Wurzelbacher passou de desconhecido a homem mais falado da campanha. "Joe trabalha dez ou 12 horas por dia e quer tornar-se dono dasua empresa. Mas viu o seu programa fiscal e percebeu que irá pagar mais", lançou McCain, referindo-se de forma explícita a Wurzelbacher. "O que disse ao Joe foi que o que ele precisava era da descida dos impostos há cinco anos, quando tinha condições para comprar a empresa", respondeu Obama .


Referido em representação dos pequenos empresários, Wurzelbacher tornou-se estrela por um dia. Apesar de ter sido usado pela campanha republicana, o canalizador recusou revelar em quem vai votar. "Isso só eu e o botão que vou carregar sabemos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG