Novo Papa deve erradicar o "cancro" das vítimas de abuso sexual

A Igreja Católica, através da eleição do Papa Francisco, tem a oportunidade de começar a erradicar o "cancro" que é o abuso sexual na Igreja, disse o advogado de uma das vítimas norte-americanas que serão indemnizadas pela arquidiocese de Los Angeles em quase oito milhões de euros.

Michael Duran apelou também ao novo Papa para que excomungasse o Cardeal Roger Mahony, ex-arcebispo de Los Angeles, presente no Conclave, que é acusado de ter encoberto abusos sexuais de um outro padre, Michael Baker.

A arquidiocese de Los Angeles concordou em pagar 10 milhões de dólares (quase oito milhões de euros) a quatro homens que foram vítimas de abuso sexual pelo ex-padre quando eram crianças. O acordo foi celebrado com a ajuda do Cardeal de Los Angeles no início de março. As vítimas acusam Mohony, que na altura era arcebispo, de ter deixado Baker prosseguir as suas atividades como sacerdote, mesmo após este ter confessado os abusos.

A eleição de um novo Papa deve ser uma "oportunidade para a Igreja Católica fazer reparações a vítimas e a criar uma estrutura real na hierarquia para proteger as crianças em todo o mundo", afirmou uma das vítimas, citada pela AFP, que disse ainda que a sua confiança na Igreja foi "destruída".

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.