Papa Francisco levará quatro milhões às jornadas mundiais

O diretor do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil (DNPJ), padre Eduardo Novo, admitiu hoje que o novo papa, oriundo de um continente sul-americano, irá levar, "pelo menos, quatro milhões de participantes" às jornadas Mundiais da Juventude, no Brasil.

"Há uma capacidade de atração, pela novidade e também por vir da América Latina, pela força católica que se sente nesta área do mundo, mas igualmente por se tratar, provavelmente, da primeira grande viagem" de Francisco, sendo que "as estimativas têm sido realizadas em conjunto com o Comité da Organização Local, explicou Eduardo Novo.

O cardeal jesuíta argentino Jorge Mario Bergoglio, agora papa Francisco, deverá levar à juventude católica que marcar presença no Brasil, entre 23 e 27 de julho, "o rejuvenescimento de uma mensagem (...) que passa pelo redescobrir da doutrina social da Igreja, sensível a todas as desigualdades entre homens e mulheres, bem como ao problema do desemprego", opinou.

Francisco será responsável, defendeu Eduardo Novo, por "dar à Igreja uma voz muito mais veemente na área da justiça".

O responsável pela pastoral juvenil portuguesa reconheceu, por outro lado, que apesar do "número de participantes no caso de Portugal ser já interessante", a verdade é que "a crise está a marcar o ritmo e o volume de inscrições, ainda que o Brasil seja um país atrativo", registando-se até ao momento a confirmação de 327 jovens, entre voluntários e participantes.

"Este é um momento difícil e sabemos que o valor base, de 1.500 euros, para um agregado familiar, é sempre um montante elevado", disse, mostrando-se contudo esperançado que irão aumentar as inscrições até 31 de maio, dia em que termina o prazo.

"Como bons portugueses que somos, deixamos até à última", constatou, destacando a novidade de nestas jornadas estar prevista "uma semana missionária para os participantes" e que resulta numa "visita espiritual e cultural a Petrópolis".

Jorge Mario Bergoglio, de 76 anos, cuja presença é aguardada nas Jornadas Mundiais da Juventude no Brasil, foi eleito na quarta-feira papa pelos 115 cardeais reunidos em Roma, adotando o nome de Francisco.

Francisco sucede a Bento XVI, que resignou ao pontificado no dia 28 de fevereiro, e é o 266.º papa da Igreja Católica.

Exclusivos