"Não devemos ter medo da bondade", diz o Papa

O Papa Francisco entrou na Praça de São Pedro no papamóvel, antes de celebrar a missa inaugural do seu pontificado diante de centenas de milhares de pessoas. Depois, recebeu os cumprimentos das 132 delegações presentes.

O "verdadeiro poder" de um Papa é o "serviço humilde e concreto", afirmou o Papa Francisco durante a missa inaugural do seu pontificado. Na Praça de São Pedro, o primeiro papa das Américas apelou aos religiosos para "não terem medio da ternura".

O novo Papa argentino considerou ainda que o líder da Igreja Católica "deve abrir os braços para receber com ternura toda a humanidade, especialmente os mais fracos, os mais pobres, os mais pequenos". "Não devemos ter medo da bondade!", exclamou o Papa Francisco durante sua homilia.

Veja o vídeo da cerimónia:

Vestido com uma simples sotaina branca e sorridente a bordo do veículo totalmente descoberto, o Papa saudou a multidão que o aclamava e brandia bandeiras, sob o sol de Roma. Francisco chegou mesmo a descer do papamóvel para acarinhar um deficiente acamado.

Desde a madrugada, por volta das 5.00 em Lisboa, 6.00 em Roma, a multidão começou a juntar-se na Praça de São Pedro. Centenas de voluntários ajudaram a canalizar as pessoas para os seus lugares, num dia em que o Vaticano espera até centenas de milhares de pessoa e 132 delegações estrangeiras para assistir à missa inaugural do primeiro papa das Américas.

Mais de 30 chefes de Estado estavam sentados na primeira fila na Praça de São Pedro para a missa que dá início oficial ao pontificado do antigo arcebispo de Buenos Aires Jorge Bergoglio, eleito Papa na quarta-feira passada. Depois da missa, apresentaram os seus cumprimentos a Francisco no interior da basílica de S. Pedro.

Sirenes da polícia, helicópteros, o centro de Roma está em estado de sítio. Mais de três mil agentes da segurança e dezenas de civis estão no terreno para garantir que tudo decorre sem problemas.

O Papa Francisco, sucessor de Bento XVI, que a 28 de fevereiro resignou oficialmente, aos 86 anos e alegando terem começado a 2faltar-lhe as forças", já marcou uma nova dinâmica no início do seu pontificado, surgindo sempre simples, humilde e acessível.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.

Premium

Maria do Rosário Pedreira

Os deuses das moscas

Com a idade, tendemos a olhar para o passado em jeito de balanço; mas, curiosamente, arrependemo-nos sobretudo do que não fizemos nem vamos já a tempo de fazer. Cá em casa, tentamos, mesmo assim, combater o vazio mostrando um ao outro o que foi a nossa vida antes de estarmos juntos e revisitando os lugares que nos marcaram. Já fomos, por exemplo, a Macieira de Cambra em busca de uma rapariga com quem o Manel dançara um Verão inteiro (e encontrámo-la, mas era tudo menos uma rapariga); e, mais recentemente, por causa de um casamento no Gerês, fizemos um desvio para eu ir ver o hotel das termas onde ele passava férias com os avós quando era adolescente. Ainda hoje o Manel me fala com saudade daqueles julhos pachorrentos, entre passeios ao rio Homem e jogos de cartas numa varanda larga onde as senhoras inventavam napperons e mexericos, enquanto os maridos, de barrigas fartas de tripas e francesinhas no ano inteiro, tratavam dos intestinos com as águas milagrosas de Caldelas. Nas redondezas, havia, ao que parece, uma imensidão de campos; e, por causa das vacas que ali pastavam, os hóspedes não conseguiam dar descanso aos mata-moscas, ameaçados pelas ferradelas das danadas que, não bastando zumbirem irritantemente, ainda tinham o hábito de pousar onde se sabe.