D. José Policarpo convidou Francisco a visitar Portugal

O cardeal-patriarca de Lisboa disse hoje que convidou o novo Papa Francisco a visitar Portugal, logo após a eleição de Jorge Mario Bergoglio, o primeiro latino-americano a liderar a Igreja Católica.

"Logo após o cumprimento final, disse-lhe que nós gostaríamos muito de o receber em Portugal", referiu José Policarpo, em conferência de imprensa, um dia após o final do Conclave em que participou, desde terça-feira, no Vaticano.

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) confessou que o novo papa não lhe deu qualquer resposta "nem a podia dar".

Também o bispo de Leiria-Fátima, António Marto, tinha afirmado a intenção de convidar o papa Francisco a visitar Portugal, para participar nas celebrações do centenário das aparições na Cova da Iria, em 2017.

Comentando à comunicação social a eleição do cardeal argentino, José Policarpo disse que estão criadas "algumas condicionantes" para que a Igreja viva em "simplicidade", sem depender da sua estrutura.

"Que a Igreja crie essa simplicidade, na organização e estrutura, sem dar à organização e à estrutura o primado da qualidade da vida da Igreja", apelou o cardeal-patriarca.

José Policarpo, que também participou no Conclave de 2005, sustentou que se por acaso o cardeal Bergoglio "tivesse sido eleito papa há oito anos não teria as condições que tem hoje".

Para o patriarca de Lisboa, a escolha do nome do papa eleito - Francisco - é um indicador da procura da simplicidade para a Igreja Católica, na tradição da identificação da decisão de escolher um nome que represente o que o escolhido acha que deve ser a "maneira de exercer a sua missão".

José Policarpo declarou que foi "particularmente significativo" que o nome escolhido evoque São Francisco de Assis (c. 1181-1226) e que essa é uma forma de dizer como o novo papa "compreende a missão que lhe foi entregue".

"Nunca ninguém se lembrou de se chamar Francisco", disse.

O presidente da CEP afirmou ainda que o cardeal argentino era "conhecido pela simplicidade com que está junto dos pobres".

Jorge Mario Bergoglio, de 76 anos, arcebispo de Buenos Aires, foi eleito na quarta-feira como sucessor de Bento XVI ao quinto escrutínio do Conclave, após pouco mais de 24 horas de votações à porta fechada, na Capela Sistina.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG