Cimeira encerra restaurantes

Comerciantes vão pedir indemnização devido a prejuízo de 200 mil euros

Os restaurantes situados na zona ribeirinha norte do Parque das Nações - entre a Torre Vasco da Gama e o Oceanário - são obrigados e encerrar no próximo fim-de-semana, devido à Cimeira Europa- África . "Ao todo são 30 estabelecimentos e 900 funcionários que ficam penalizados", disse ao DN Paulo Vicente Ribeiro, da Associação de Lojistas do Parque das Nações, estimando que os prejuízos ultrapassem os 200 mil euros.

 

Por este motivo, os comerciantes estão já a ponderar pedir uma indemnização à Presidência Portuguesa da UE. "Nesta altura do ano, nomeadamente no próximo fim-de-semana, é quando conseguimos mais lucro. Nós entendemos as restrições ao nível do trânsito, mas não se justifica que essa restrição se estenda a pessoas, nomeadamente aos funcionários (cozinheiros em particular) que vêem a entrada no seu local de trabalho vedada, ficando privados de preparar as refeições", sublinha Paulo Vicente Ribeiro. O também proprietário do Bar-restaurante Cenoura do Rio, acrescenta que esta é uma altura em que há muitas marcações de jantares. "Devido a esta medida da qual tivemos conhecimento com dez dias de antecedência, somos obrigados a fazer desmarcações. Eu já tive de cancelar um jantar para 600 pessoas cuja reserva estava feita para o próximo sábado", reclama.

 

Tudo isto acontece porque a organização da missão decidiu que no perímetro de segurança não entram carros nem pessoas. "Nesse perímetro o trânsito está interdito entre as 17.00 de sexta-feira e as 17 de domingo. Este medida estende-se às pessoas que não têm acreditação, entre as 00.05 e as 21.00 de sábado e as 00.05 e as 17.00 de domingo", explica fonte da Parque Expo, adiantando que já estavam previstas alterações mas não ao nível das pessoas.

 

Paulo Ribeiro lamenta que não se tenha acautelado o interesse de todos: "Já houve mais cimeiras e nunca se registaram problemas. Mas esta medida dificulta-nos a vida."