Cimeira alternativa diz que África não está à venda

Cerca de duas centenas de activistas de movimentos sociais europeus e africanos manifestaram-se ontem em Lisboa, numa caminhada pacífica entre o Chiado e a Praça da Figueira, gritando "África não está à venda".

 

A manifestação foi o culminar da cimeira alternativa UE/ África , que reuniu na Faculdade de Belas Artes de Lisboa dezenas de movimentos sociais e pelos direitos humanos dos dois continentes, com o objectivo de fazer o contraponto da reunião oficial de chefes de Estado e de Governo. " África não está à venda", "ninguém é ilegal" ou "com EPA [sigla inglesa para Acordos de Parceria Económica - APE] não vamos lá" foram as principais palavras de ordem de uma caminhada que partiu do Largo de Camões. A música dominou a manifestação, com os grupos como Terracota e Sound System, que iam animando quem fazia compras no Chiado.

 

Os manifestantes foram sempre acompanhados por duas equipas de intervenção rápida da PSP - 16 elementos e duas carrinhas - mas não se registaram incidentes.O único momento em que as vaias substituíram a música foi quando a manifestação se cruzou, no Rossio, com uma das comitivas da Cimeira oficial UE/ África .

Exclusivos