Portugueses de Pretória rezam por homem que "saiu reconciliado da prisão"

No dia em que a África do Sul rezou pelo seu antigo líder Nelson Mandela, a Igreja de Santa Maria dos Portugueses, em Pretória, juntou-se à jornada, evocando "o homem que saiu reconciliado da prisão".

"Certamente que Nelson Mandela tem lugar nas nossas orações", disse, na missa das 11:00, o frei franciscano Gilberto Teixeira aos cerca de 200 fiéis, a maioria de meia-idade, e aos jovens que estavam pouco à-vontade para se expressarem em português.

"Nelson Mandela mostrou ser um religioso, na prática. Saiu da cadeia como um homem pacificado e pacificador", acrescentou, na homilia, frei Gilberto, que desejou que "a África do Sul se transforme num país verdadeiramente colorido".

Após a missa, que foi seguida por uma pequena procissão que celebrou o dia de Imaculada Conceição, ouviram-se algumas, poucas, críticas anónimas ao histórico líder sul-africano, mas em entrevistas à Lusa, fiéis destacaram "o importante papel" de Mandela na construção da chamada "nação arco-íris".

Também os receios de que a morte de Mandela possa inverter o caminho do país foram afastados.

"Acho que as pessoas já estavam preparadas. Ele já não era presidente há muito tempo. As pessoas agora já fazem parte de uma família da nação", disse Adriano Duarte, natural da Trofa e a viver na África do Sul, país que, disse, continua a ser "um bom destino".

Falando em inglês, a jovem estudante Vanessa Reis alinhou pelo mesmo tom otimista: "Penso que a África do Sul é um país muito forte e ele uniu-nos como uma família", disse, acrescentando não acreditar que o país possa entrar em convulsões.

A paróquia também acolhe outros lusófonos, angolanos, sobretudo, e moçambicanos, como o padre Manuel Nhaquila, natural de Inhambane, que deu uma outra perspetiva do papel do histórico líder sul-africano.

"É emocionante evocar (na missa) o nome de Mandela porque os seus ideais, de alguma forma, são admirados por estas comunidades, sobretudo a nossa, que sentiu o impacto positivo daquilo que ele deu como seu ideal", disse o religioso.

"Há uma oportunidade para continuar com a reconciliação e pode ser que os ideais continuem a unir os sul-africanos que chegaram de lugares diferentes e de diferentes raças",acrescentou Nhaquila.

A Igreja de Santa Maria dos Portugueses foi fundada em 1972 e é uma das oito paróquias da capital sul-africana, servindo maioritariamente uma comunidade que hoje entoou o hino "Não se chama português quem cristão de fé não for".

O funeral de Estado do antigo presidente sul-africano, Nelson Mandela, realiza-se no dia 15 de dezembro.

Na segunda-feira, vai realizar-se ma cerimónia nacional para lembrar Mandela no estádio do Soweto, perto de Joanesburgo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG