Obama reserva-se o direito de agir de novo no Paquistão

A Casa Branca afirmou hoje que o Presidente norte-americano, Barack Obama, se reserva o direito de agir novamente contra os suspeitos de terrorismo no território paquistanês, depois do ataque que matou Ben Laden a norte de Islamabad.

Segundo a AFP, Jay Carney, porta-voz da Casa Branca confirmou que Obama está preparado para atacar novamente os fugitivos caso estes se encontrem em território paquistanês.

O Presidente norte-americano "considera que seria uma boa aproximação e continua a equacioná-la", disse.

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou no domingo à noite em Washington que Usama Ben Laden foi morto no Paquistão por forças especiais norte-americanas. Segundo responsáveis, o líder da Al-Qaida foi morto durante o ataque a um complexo nos arredores de Islamabad, onde a sua presença foi confirmada no final de Abril.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.