EUA ponderam divulgar fotos do cadáver de Bin Laden

A Presidência dos Estados Unidos (EUA) está a ponderar a divulgação das fotografias do cadáver do líder da Al-Qaida, Osama Bin Laden, morto pelas tropas especiais norte-americanas nos arredores de Islamabad, noticia a Efe.

O assessor presidencial para o combate anti-terrorista, John Brennan, afirmou hoje, durante uma conferência de imprensa: "só decorreram 24 horas e já divulgámos muita informação".

"Queremos partilhar toda a informação necessária para os EUA e o mundo possam entender o que se passou", disse, acrescentando: "O que não queremos é pôr em perigo um sucesso tão grande, como o desta operação, na próxima vez que queiramos capturar outro" dirigente terrorista.

Até ao momento, os EUA não difundiram imagens do corpo do seu inimigo público número 1.

Alguns meios paquistaneses divulgaram imagens dos supostos restos mortais de Bin Laden, que se apurou serem falsas, depois de o presidente norte-americano, Barack Obama, ter anunciado na noite passada a morte do líder da Al-Qaida.

Bin Laden morreu durante um tiroteio, quando um comando norte-americano entrou na residência onde se ocultava, na cidade paquistanesa de Abbottabad, nos arredores de Islamabad.

Morreram ainda três homens, entre os quais presumivelmente um dos seus filhos adultos, um dos seus 'correios' de confiança e o irmão deste, bem como uma das esposas de Bin Laden, usada como escudo humano quando começou o tiroteio.

Os militares apoderaram-se do corpo do terrorista, que foi enviado para o porta-aviões norte-americano Carl Vinson, no Golfo Arábico.

Aí, o corpo foi preparado segundo os ritos islâmicos e às 07:00 de Lisboa, como indicou um alto funcionário do Pentágono, foi sepultado no mar.

Esta opção foi tomada para evitar que o seu túmulo se transformasse num centro de peregrinação para extremistas, bem como devido à dificuldade de encontrar um país que quisesse receber o corpo, adiantou o responsável.

Antes de o corpo ser lançado ao mar, especialistas da CIA e do Departamento da Defesa compararam o corpo com fotografias de Bin Laden para determinar a sua identidade com segurança.

Para mais, provas do ADN comparadas com a de outros membros da família de Bin Laden garantem a "99,9 por cento" que se trata do líder da Al-Qaida.

O mesmo alto funcionário disse ainda que, se restassem dúvidas, a esposa de Bin Laden o identificou pelo nome quando os militares norte-americanos estavam na residência.

Análise de ADN confirma morte de Bin Laden

Uma análise de ADN permitiu confirmar a morte de Osama Bin Laden, anunciou hoje um alto responsável norte-americano à agência noticiosa francesa AFP. O facto de o corpo do líder ter sido atirado ao mar e não ter sido sepultado está a suscitar dúvidas quando à veracidade da sua morte.

Este responsável, que não quis ser identificado, confirmou que o ADN retirado do corpo de uma das pessoas mortas no tiroteio no domingo numa cidade a norte de Islamabad corresponde ao do líder da Al-Qaida.

Segundo um outro responsável, que também não quis ser identificado, "o ADN corresponde ao de vários membros da família Bin Laden. A probabilidade do ADN (do corpo) ser o de Bin Laden é de pelo menos 99 por cento".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG