Restantes partidos têm de assumir suas responsabilidades

Os ministros socialistas Alberto Martins e Vieira da Silva, à entrada para o XVII congresso nacional do PS, afirmaram que os restantes partidos da oposição têm que assumir as suas responsabilidades no processo de pedido de externa.

O ministro da Justiça, Alberto Martins, questionado pelos jornalistas sobre um entendimento entre PS, PSD e CDS em torno da ajuda externa, afirmou que "o PS e o Governo assumirão, como o primeiro-ministro já disse, as suas responsabilidades", querendo que "os outros assumam as suas". "Venho [para o congresso] preparado sobretudo para que se construa aqui um grande momento de unidade contra o adversário que está lá fora, que são aqueles que no momento decisivo não deram o apoio para que Portugal pudesse sair de uma situação económica e financeira de extrema dificuldade e agravaram as dificuldades", criticou.

Também o ministro da Economia, Vieira da Silva, questionado sobre a ajuda externa, afirmou que "este é um momento em que obviamente, e ainda de uma forma mais clara, todos têm que ter consciência das responsabilidades que têm". "Das declarações que já ouvi hoje parece-me que existe da parte das autoridades europeias uma natural preocupação com o compromisso que os partidos políticos - nomeadamente aqueles que estão empenhados no processo europeu - têm que manifestar relativamente a este pedido que Portugal formulou", explicou.

Para o dirigente socialista "se Portugal decidiu neste momento solicitar esse pedido financeiro foi porque considerava que ele era urgente". "Mesmo tendo em conta o processo eleitoral que está em curso é vantajoso para o país que as questões se resolvam rapidamente", defendeu. Questionado sobre o facto de o PEC4 ser um ponto de partida, Vieira da Silva respondeu que tem mesmo quer ser "porque é para as autoridades europeias um documento que é conhecido nas suas orientações gerais".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG