Redução de 10 por cento de pessoal na área da Defesa

O Governo e a 'troika' irão apresentar até ao final do ano uma revisão da Lei da Programação Militar com a intenção de impor tectos de despesa.

Segundo o memorando de entendimento a que a Lusa teve acesso, uma das medidas de austeridade pelo lado da despesa é que exista um compromisso para que não se crie nova despesa nas forças militares portuguesas.

Recorde-se que, em 2010, o Estado inscreveu na sua despesa cerca de mil milhões de euros na compra de dois submarinos. Até 2014, o acordo prevê também que a área da Defesa reduza o seu pessoal em 10 por cento.

Na terça-feira, o primeiro-ministro José Sócrates afirmou na sua comunicação ao país que Portugal conseguiu um "bom acordo", sendo que fonte oficial disse à Lusa que o empréstimo da 'troika' será de 78 mil milhões de euros durante três anos, incluindo a recapitalização da banca, caso seja necessária.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG