Paula Vitorino: "De bom senso" parar 2º troço do TGV

A deputada do PS Ana Paula Vitorino considerou hoje, segunda-feira, "de bom senso" que o Governo suspenda o concurso para o segundo troço do TGV por estar em gestão e por causa do pedido de ajuda financeira externa. Mas garantiu que a construção do trolo Poceirão-Caia vai prosseguir.

"Parece que é uma decisão de bom senso por várias razões", disse a deputada, apontando em primeiro lugar o facto de o país entrar "em plena negociação com o BCE, FMI e com a comissão europeia para negociar uma assistência financeira".

Em segundo lugar, "porque estamos num governo de gestão e parece-me da mais elementar prudência que se pondere o lançamento de novos concursos, grandes concursos, sejam eles quais forem", afirmou.

O Diário Económico escreve hoje que o Governo decidiu não avançar com o segundo concurso para a construção do troço do comboio de alta velocidade (TGV) entre Lisboa e o Poceirão.

A deputada falava aos jornalistas no Parlamento após questionada sobre as notícias que referem que o Governo não vai avançar com aquele concurso.

De acordo com Ana Paula Vitorino, "não está em causa a validade ou a necessidade e a prioridade atribuída" à linha ferroviária de alta velocidade. "O que está aqui em causa é a oportunidade de lançar um novo concurso", afirmou, recusando que se possa ou deva suspender o troço Poceirão-Caia.

"No troço Poceirão-Caia, temos uma situação completamente distinta. Há um concurso lançado antes da crise, existe um contrato assinado, existem financiamentos acordados, existem fundos comunitários garantidos e que não podem ser desviados nem transferidos para outras coisas como apoios sociais", afirmou.

A deputada disse que a verba que está prevista em termos de investimento do Estado na fase da construção "é uma verba diminuta face ao montante global do investimento, são cerca de 90 milhões de euros".

Ana Paula Vitorino disse que caso fosse rescindido o contrato Poceirão-Caia o montante de indemnização aos privados "seria muito superior" ao investimento do Estado na fase da construção.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG