Fernando Nobre: medidas atacam o Estado Social

O cabeça de lista do PSD às legislativas por Lisboa afirmou hoje que as medidas do memorando de entendimento entre o Governo português e a "troika" representam um ataque violento ao Estado Social.

Fernando Nobre, que falava à agência Lusa após uma visita ao Centro Comunitário e Paroquial da Ramada, em Odivelas, justificou as críticas com as medidas que preveem a redução nas isenções fiscais da Educação e na Saúde e o aumento das taxas moderadoras. "Já não bastava o preço dos medicamentos estar a um nível que poucas pessoas os podem pagar. Com estas medidas avulsas que já vieram à tona pode dizer-se que o Estado Social está a ser atacado violentamente", sublinhou.

Fernando Nobre teceu ainda críticas ao Governo liderado por José Sócrates que, no seu entender, é "o grande responsável" pela necessidade de haver ajuda externa. "O Governo de José Sócrates em seis anos provocou um défice do Estado de 80 mil milhões de euros, mais do que nos 31 anos pós 25 de Abril. Esta ajuda mais não serve do que compensar o desvario financeiro existente nos últimos 6 anos", reiterou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG