Paulo Rangel critica "gestão do silêncio do CDS"

O eurodeputado do PSD criticou hoje a "gestão do silêncio" do CDS, que "foi muito lento" na sua reação à apresentação do Orçamento de Estado para 2013.

Para Paulo Rangel, que falava à margem do Conselho Nacional do PSD, a decorrer num hotel em Lisboa, apesar disso, o mais importante é que a questão tenha ficado resolvida.

Na opinião de Rangel, depois de Portugal ter conseguido "um profundo respeito" na Europa pela forma como tem cumprido as suas obrigações com a tróica, devia ter passado, desde o verão, "a trabalhar em dois tabuleiros".

Ao mesmo tempo que o primeiro-ministro "mostra que Portugal está totalmente disponível para continuar a assumir os seus compromissos", perante a nova política do BCE e da nova visão do FMI, devíamos estar, "em simultâneo, a trabalhar na Europa para conseguir, a médio prazo, suavizar as condições impostas a Portugal".

E, numa crítica direta a Paulo Portas, o eurodeputado do PSD disse que, "neste momento, o ministro dos Negócios Estrangeiros, devia estar a falar mais na Europa".

Ler mais

Exclusivos