Desconto generalizado nos transportes acaba

O ministro da Defesa afirmou hoje que após pagar à CP uma dívida de cerca de 38 milhões de euros por descontos concedidos nos títulos de transporte o seu ministério tentará "uma renovação de protocolo" para "situações especiais".

"Há uma dívida acumulada do Ministério da Defesa de cerca de 38 milhões de euros de há vários anos, é uma ilusão dizer-se que há transporte gratuito, não há transporte gratuito, o ministério deve essa ordem de grandeza pelos anos acumulados em que não foram respeitados os compromissos a esse nível, o que acontece é uma medida transversal", afirmou Aguiar-Branco aos jornalistas.

O governante falava na Assembleia da República, no final do debate na especialidade da proposta de Orçamento, que se estendeu por cerca de três horas e meia.

O ministro da Defesa acrescentou que haverá "um ensaio de pagar essa dívida para depois fazer uma renovação de protocolo que permita haver situações de especial benefício que neste momento não estão apuradas".

"O desconto generalizado terminará porque não é possível continuar a haver uma acumulação de dívida que neste momento é de 38 milhões de euros", frisou.

Durante o debate o titular da pasta da Defesa tinha criticado o anterior Governo do PS a este propósito.

"Não há transportes gratuitos, há 38 milhões de euros pagar à CP, o conceito de gratuitidade tinha uma interpretação muito lata no anterior Governo e que este não pode acompanhar, haverá um esforço do Ministério da Defesa para liquidar essa dívida, e uma vez paga, para fazer um novo acordo", declarou no plenário.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG