Deputados do CDS ameaçam recusar Orçamento

Alguns representantes do CDS expressaram desagrado com a forma como o ministro das Finanças apresentou o Orçamento de Estado para 2013, considerando ser "muito estreita" a margem de manobra para aceitar sugestões alternativas.

Fontes do CDS admitiram explicitamente ao DN bastante "desconforto" com o Orçamento final anunciado pelo ministro das Finanças, Vítor Gaspar. Foram feitas sugestões para cortar na despesa e assim moderar-se a carga fiscal - mas absolutamente em vão. Gaspar revelou-se absolutamente intransigente.

Sinal do mal-estar foi o facto de o grupo parlamentar ter decidido adiar para hoje uma reação à conferência do ministro. Foi o único partido parlamentar a fazê-lo. No Facebook, alguns deputados centristas não esconderam a sua fúria. "Não esperem de mim que aceite que este Orçamento de Estado é, tal como está, inalterável. E terei oportunidade de o dizer diretamente ao ministro das Finanças", escreveu Adolfo Mesquita Nunes. "Qualquer Orçamento tem margem para ser alterado no Parlamento. Negá-lo é negar o fundamento do parlamentarismo e do sistema democrático", acrescentou João Almeida (que é também o porta-voz do partido).

Leia mais no epaper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG