PS insiste: Passos tem de esclarecer desvio orçamental

O Partido Socialista (PS) voltou hoje a desafiar o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, a esclarecer o alegado desvio orçamental de 2011 que está "a servir de desculpa" para o Orçamento do Estado para o próximo ano.

"O PS reitera a necessidade de mais esclarecimentos sobre o alegado desvio orçamental de 2011 e é esse desvio que está a servir de desculpa para o Orçamento de 2012", afirmou o dirigente socialista João Ribeiro, em declarações aos jornalistas, na sede do partido, no Largo do Rato, em Lisboa. Para os socialistas, Passos Coelho tem de explicar "aos portugueses e ao Parlamento como fundamenta esse alegado desvio de que tem vindo a falar".

Segundo João Ribeiro, secretário nacional do PS, o chefe do Governo "desresponsabiliza-se para ocultar as suas responsabilidades", frisando que "os portugueses exigem é que o primeiro-ministro governe e não se desculpe". Em declarações aos jornalistas, o dirigente socialista recordou que Passos Coelho pediu no passado desculpa aos portugueses, atitude que agora parece não equacionar. "O primeiro-ministro veio hoje dizer que não sentia que devia pedir desculpa aos portugueses. (...) Foi este o primeiro-ministro que pediu desculpa aos portugueses pelas condições recessivas que impôs no Orçamento de 2011", orçamento esse de que foi "co-autor" e "co-executor", referiu João Ribeiro.

"Desculpa-se com tudo e mais alguma coisa, mas não quer pedir desculpa aos portugueses pelo Orçamento do Estado de 2012. O primeiro que é totalmente seu", frisou João Ribeiro, salientando ainda que "coragem é assumir medidas porque se acredita nelas e não com desculpas sobre o passado". Questionado sobre o sentido de voto do PS sobre o OE2012, João Ribeiro reiterou que o partido mantém "integralmente" a sua posição e só irá decidir "depois de conhecer todas as dimensões do orçamento"

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG