Passos: "Medidas mais polémicas não estão em discussão" (COM VÍDEO)

O primeiro-ministro manifestou-se hoje disponível para ouvir e eventualmente acolher propostas da oposição, em particular do PS, de alteração ao Orçamento do Estado para 2012, mas não quanto às "opções fundamentais" e às "medidas mais polémicas".

Segundo Pedro Passos Coelho, "seria bom que o país fosse poupado a qualquer ideia de que o Governo à segunda feira ou à quinta está disponível para adotar medidas extremamente difíceis, mas que têm de ser concretizadas para que as nossas metas sejam atingidas, e depois ao sábado, domingo ou à segunda-feira estivesse a repensar medidas em que pensou muito maduramente e que só adotou por saber que não tem alternativa para elas".

O primeiro-ministro, que falava durante uma conferência promovida pelo Diário Económico, num hotel de Lisboa, afirmou que "não é por uma questão de finca-pé" que o Governo recusa discutir as "opções fundamentais" do Orçamento para 2012, mas porque "não há margem" para "andar de outra maneira".

Passos Coelho acrescentou que espera "que, no fundamental, o PS também não se oponha".

O primeiro-ministro sustentou que "muitas das medidas que têm sido mais polémicas, ou mais discutidas, ou que são associadas à maior dureza do Orçamento são as medidas necessárias" para Portugal atingir as metas com que está comprometido.

"Relativamente a isso o Governo não tem uma posição de hesitação", frisou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG